quarta-feira, 6 de abril de 2011

Incêndio no Instituto Butantan

 Fogo queimou 70 mil espécies





O incêndio que atingiu o laboratório de répteis do Instituto Butantan, na Zona Oeste de São Paulo, no início da manhã de sábado (15/05/2010), destruiu um dos principais acervos de cobras, aranhas e escorpiões para pesquisas do mundo e o maior do Brasil. Mais de 70 mil espécies conservadas foram queimadas no local. Ninguém ficou ferido. As causas do incêndio ainda estão sendo apuradas.
Cobras, aranhas e escorpiões
As chamas atingiram o prédio onde cientistas faziam pesquisa com cobras, aranhas e escorpiões. Os animais já mortos eram conservados em formol. As perdas ainda estão sendo contabilizadas. Ainda abalado, o curador do instituto diz que a perda é incalculável. “São cem anos de história. Não sei dizer mais nada”, disse Francisco Franco, curador da coleção.
Os animais vivos, como aranhas, foram retirados e levados para um local seguro.
O Instituto Butantan é um centro de pesquisas biomédicas. Foi fundado em 23 de janeiro de 1901 e é responsável pela produção de soros e vacinas. Conta com parque, museus, bibliotecas e serpentário. O instituto é também um órgão da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. 
  
Ismael Masa 
Gravura Giovanne Tessari